maio 11 2018 0Comment
o que faz um planejador de manutenção

Funções de um Planejador de Manutenção

Uma dúvida que ronda boa parte das pessoas que visam iniciar sua carreira dentro da área de Planejamento de Manutenção é sobre a função do planejador de manutenção.

Nesse artigo, iremos esclarecer quais são as funções do planejador de manutenção, o que faz um planejador de manutenção no seu cotidiano e qual a importância do seu trabalho dentro da organização.

O que faz um Planejador de Manutenção?

A função do planejador  pode ser muito ampla e abranger várias atividades. Obviamente que isso irá mudar de acordo com a política e cultura de cada empresa, mas a base e o objetivo da função.

Como o próprio nome já diz, o Planejador de Manutenção é o responsável por todas as atividades que envolvem o Planejamento da Manutenção das Máquinas e Equipamentos.

Ele é uma peça chave dentro do setor de Planejamento e Controle de Manutenção e o seu trabalho tem como objetivos principais elevar a disponibilidade e confiabilidade dos ativos, de forma produtiva. Veja no vídeo abaixo:


Principais Funções do Planejador de Manutenção:

  • Gerenciar os Planos de Manutenção Preventiva, Preditiva, Lubrificação e Inspeção;
  • Elaborar procedimentos técnicos das atividades de manutenção;
  • Dimensionar os recursos necessários para o bom cumprimento das atividades;
  • Gerenciar a carteira de serviços planejados e  que em breve irão passar para a programação;
  • Revisar constantemente o escopo técnico das atividades de manutenção, visando encontrar pontos de melhorias, com base em experiências passadas;
  • Coletar informações que contribuam para o planejamento e execução das atividades, visando otimização da produtividade da mão de obra e outros recursos.

O Planejador de Manutenção no Organograma da Empresa

É muito comum algumas empresas posicionarem o setor de PCM abaixo ou pareado com as oficinas de manutenção. Isso é um erro grave que pode resultar em dois problemas:

1) Os serviços corretivos serão prioridade frente aos planejados.

Se o Planejador de Manutenção responde para o Supervisor de Manutenção de campo, sempre que ocorrer alguma variação na demanda, ele será deslocado para atender prioritariamente as demandas de manutenção corretiva.

Uma vez que os serviços planejados são colocados como segunda opção, é questão de tempo para os ativos denunciarem tal negligência. As falhas começarão a aparecer cada vez mais cedo e os índices disponibilidade e confiabilidade evidenciarão isso.

Veja:

2) A demanda passará a vir do campo e não do planejamento.

Os serviços já passarão a vir “planejados” do chão de fábrica e o planejador passará a exercer a função de um mero “abridor de ordens de serviço”.

É função do planejador de manutenção elaborar planos que respondam com precisão as cinco perguntas abaixo:

  1. O que fazer?
  2. Como fazer?
  3. Qual o motivo de ser feito?
  4. Quem irá fazer
  5. Com o que irá fazer?

Uma vez que essas cinco perguntas são respondidas pelo chão de fábrica, uma coisa é certa: existe dinheiro indo pelo ralo!

O planejador é a pessoa que ficará em tempo integral traçando estratégias para que as cinco perguntas acima sejam respondidas de forma em que todos os recursos sejam empregados da forma mais rentável possível. Se as perguntas são respondidas pelo chão de fábrica, que existem diversas outras demandas, a qualidade das respostas pode ser comprometida.

A imagem abaixo mostra como deve ser a estrutura de setor de Planejamento e Controle de Manutenção produtivo. Essa não reflete a realidade da grande maioria das empresas hoje, mas é assim que deve ser.

FUNÇÃO DO PLANEJADOR DE MANUTENÇÃO

O planejador foca em planejamento. Uma vez que o planejador passa a atender demandas de programação e controle, as demandas de planejamento ficarão em segundo plano e isso e grave.

O planejamento e a base de todo o processo de manutenção. Se erramos no planejamento, erramos na execução.

FUNÇÃO DO PLANEJADOR DE MANUTENÇÃO

Lembrando que o trabalho no ambiente de Planejamento e Controle de Manutenção é um ciclo de melhoria contínua. Uma vez que a carga de trabalho chegou no Analista de Manutenção, ele deve gerar os indicadores que o Planejador de Manutenção terá como base para melhorar os planos de manutenção.

função do planejador de manutenção

PCM PLANEJAMENTO E CONTROLE Da MANUTENÇÃO

função do planejador de manutenção

Lembre-se: Planos de Manutenção não são eternos. Quando estamos falando de Manutenção Centrada em Confiabilidade, os índices de confiabilidade dos equipamentos ditarão as atividades e as frequências dos planos. Por isso a importância da atualização constante com base em indicadores de manutenção.

Para que você entenda melhor sobre isso, recomendo que leia esses três artigos:

Características de um Planejador de Manutenção de Sucesso

Um bom Planejador de Manutenção é aquele que consegue alinhar os objetivos da sua função com os objetivos da empresa. Conforme a pirâmide abaixo:

A função do planejador de manutenção excepcional é elevar a disponibilidade e confiabilidade dos ativos, através da elaboração de planos de manutenção centrados em confiabilidade e rentáveis. 

Um bom Planejador de Manutenção sabe o valor que o resultado do seu trabalho gera para a empresa.

Ele sabe o que é a lei 1/5:

Para que os resultados sejam sólidos e evidentes, o Planejador de Manutenção deve possuir características ímpares e multiplica-las dentro do ambiente de trabalho.  

O perfil do Planejador de Manutenção é composto por 5 características básicas:

FUNÇÃO DO PLANEJADOR DE MANUTENÇÃO

O Planejador de Manutenção deve ter perfil técnico.

Um grande erro que algumas empresas é encarar a função do planejador de manutenção como uma função administrativa. O planejador deve conhecer o processo de produção, os equipamentos que nele contém, as atividades de manutenção e todos os serviços que são realizados em chão de fábrica.

É impossível gerenciar planos de manutenção sem conhecimento técnico. 

Visão projetada para os próximos 60 / 90 dias.

A função do Planejador de Manutenção é baseada no tralho futuro dos próximos 90 dias. 
Começar um planejamento de manutenção cedo permite ao planejador de manutenção enxergar oportunidades de melhoria nos planos e identificar possíveis ameaças, tais como:

OPORTUNIDADES AMEAÇAS
Calcular com maior precisão a frequência em que as atividades podem ser realizadas. Definir a frequência de uma atividade muito próximo do ponto de Falha Funcional. (vide Curva PF)
Solicitar compra de peças e materiais com antecedência, pesquisando os melhores fornecedores. Comprar peças de reposição em caráter emergencial e pagar mais caro.
Identificar e tratar falhas ainda em estágio inicial. Identificar falhas em estágio avançado.
Trabalhar com backlog entre 3 e 4 semanas. Deixar a carteira de serviços atrasar e formar uma “bola de neve”.
Identificar melhores tipos e estratégias de manutenção para aplicar nos ativos. Ter apenas a manutenção corretiva como opção.

Pratica o GEMBA/GEMBUTSO

A função do Planejador de Manutenção também passa por princípios japoneses baseados no Gemba e Gembutso.

Gemba significa literalmente “local real” ou, como pode ser encontrado em algumas literaturas, “lugar verdadeiro”. Esse termo é similar a expressão Genchi Genbutsu (“Vá Ver”), que por sua vez representa uma atitude.

O planejador de manutenção deve a todo o momento ir até ao local onde o problema está acontecendo a fim de coletar dados, de forma que possam tomar uma decisão e posteriormente resolvê-lo. Para resolvermos um problema é necessário entendê-lo totalmente e ir até ao local fará com que o funcionário tenha sua própria visão dos fatos que compõem o problema.

Ou seja, não ficar o tempo todo dentro do escritório e ir para o chão de fábrica!

função do planejador de manutenção

manutenção enxuta

função do planejador de manutenção


Leia Também:

  • 3 Erros Graves que Gestores de Manutenção Iniciantes Cometem com Frequência
  • A Importância das Peças de Stand-by Para o Setor de Manutenção
  • Impedimentos na Manutenção: O Que São e Como Usá-los?
  • manutenção centrada em confiabilidade
    Introdução à Manutenção Centrada em Confiabilidade: O que você precisa saber sobre RCM!

Comentários

Comentários

jhonata

Jhonata é Engenheiro Mecânico e Engenheiro de Produção formado pelo Centro Universitário do Distrito Federal, Técnico em Eletrotécnica e Técnico em Mecânica formado pelo SENAI –Roberto Mange. Atua há 12 anos no setor de manutenção em industrias de grande porte dos seguimentos Alimentício, Higiene e Limpeza, Farmacêutico, Químico, Metalúrgico, Cimenteiro, Açúcar e Álcool, etc. É especialista em Planejamento e Controle de Manutenção, RCM - Manutenção Centrada em Confiabilidade e Lubrificação Industrial com Certificação Internacional MLT-I pelo ICML –International Council of Machinery Lubrication, Analista de Vibração Nível II pela FUPAI. Já atuou como Consultor de Lubrificação, Analista de Vibração, Supervisor de Manutenção Industrial e hoje é Diretor de Engenharia e Negócios da Engeteles e Coordenador de Manutenção em uma industria multinacional fabricante de produtos para automação residencial.