julho 27 2017 0Comment
manutenibilidade

Manutenibilidade: O que é e como ela pode te ajudar.

A manutenibilidade ou mantenabilidade ainda é pouco discutida em grande parte das plantas industriais. Porém, ela é uma forte aliada para que possamos garantir e elevar os índices de disponibilidade.

A Norma NBR 5462 que rege os principais termos e conceitos a respeito de Confiabilidade e Manutenibilidade (também chamada de mantenabilidade), essa norma diz que:

Manutenibilidade é a capacidade de um item ser mantido ou recolocado em condições de executar suas funções requeridas, sob condições de uso especificadas, quando a manutenção é executada sob condições determinadas e mediante procedimentos e meios prescritos.

O que é Manutenibilidade?

Além dos conceitos técnicos definidos pela NBR 5462, também podemos usar alguns conceitos mais simples e que remetem diretamente ao meio industrial. Podemos dizer simplesmente que manutenibilidade é a facilidade que se pode realizar a manutenção de um determinado componente, sistema, máquina ou equipamento.

Assista ao vídeo abaixo sobre Manutenibilidade / Mantenabilidade: 

 


Basicamente podemos exemplificar da seguinte forma: 

Manutenibilidade

Imagine que em uma determinada industria metalúrgica, temos uma máquina de empacotar de engrenagens. Essa máquina é uma das principais do processo de produção e se ela parar toda a linha de produção irá parar junto. Em um levantamento sobre as última falhas da máquina, chegou-se a conclusão que a máquina parou 32 vezes por problemas relacionados a “Superaquecimento do motor elétrico principal”. 

Após uma criteriosa analise de falhas, foi identificado que a causa dessas falhas era a obstrução dos filtros das janelas de ventilação da cabine do motor elétrico. 

Sabendo dessa anomalia, foi ordenado que fizesse a substituição desses filtros de forma semanal. E foi aí que começou o problema. 

O local era de difícil acesso, essa atividade era nova e ninguém sabia a forma correta e mais ágil de se fazer, esse filtro era um modelo específico fabricado exclusivamente para aquele equipamento, não tinha no estoque da empresa e o seu processo de compra era demorado, além de tudo, essa atividade era em um espaço confinado e havia a necessidade de uma série de procedimentos para realiza-la de forma segura. 

Enfim, se analisarmos o cenário acima, podemos dizer que a manutenibilidade da empacotadora de engrenagens para essa determinada ação de manutenção era muito baixa. Ou seja, essa atividade tinha um alto nível de dificuldade.


Analisando a situação acima, podemos ver claramente que a manutenibilidade pode ser elevada se combinarmos da melhor forma possível 6 fatores:

  1. Procedimento;
  2. Desenvolvimento;
  3. Informação;
  4. Antecipação;
  5. Treinamento;
  6. Repetição. 

manutenibilidade

A manutenibilidade é uma peça fundamental para garantir a eficiência operacional de uma industria. Simplesmente pelo fato da manutenibilidade estar diretamente ligada a Disponibilidade e Confiabilidade dos ativos.

A Disponibilidade é uma função da Confiabilidade e da Manutenibilidade. Podemos considerar a Disponibilidade em três ocasiões do ciclo de vida, quais sejam:

Disponibilidade Inerente (Inherent) – É a probabilidade de que um sistema estará disponível, quando acionado de uma forma aleatória, num ponto do tempo, num ambiente de suporte logístico ideal.

Disponibilidade Obtida (Achieved) – É a probabilidade de que um sistema operará satisfatoriamente, em qualquer momento que for acionado, num ambiente de suporte logístico ideal.

Disponibilidade Operacional – É a probabilidade de que um sistema estará disponível, quando acionado de uma forma aleatória, num ponto do tempo, num ambiente de suporte logístico real.

Como medir a Manutenibilidade?

Medir a manutenibilidade não é fácil e rápido. Porém após criar procedimentos de manutenção, desenvolver as habilidades da sua equipe, disseminar a informação, antecipar cenários, treinar as habilidades e repetir esse ciclo, o processo pode se tornar fácil.

O indicador de  manutenibilidade irá indicar quais são os processos e atividades de manutenção que são mais fáceis ou difíceis de serem executados. Esse indicador é extremamente útil quando estamos elaborando planos de manutenção e queremos otimizar o tempo de execução das atividades.

A norma NBR 5462 traz várias formas de se calcular a manutenibilidade, cada uma delas deve ser aplicada em um momento específico e para cada processo específico.

Taxa de reparo instantânea; símbolo: µ (t)

Limite, se existir, da razão da probabilidade condicional de que o instante T de término de uma ação de manutenção corretiva ocorra em um dado intervalo de tempo (t, t + ∆t), pela duração t deste intervalo, quando ∆t tende a zero, supondo que a ação esteja em andamento no início do intervalo de tempo.

Fórmula: 

como medir manutenibilidade

Taxa de reparo média; símbolo: (t1 , t2 )

Média da taxa de reparo instantânea em um dado intervalo de tempo (t1 , t2 ).

A taxa de reparo média se relaciona com a taxa de reparo instantânea, pela equação:

como medir manutenibilidade

MTTR – Tempo Médio para Reparo

O Tempo Médio para Reparo também pode ser associado a manutenibilidade, afinal se o tempo médio para realizar algum tipo de reparo está alto significa que esse reparo tem uma alto nível de dificuldade. 

A implantação do indicador MTTR é infinitamente mais simples  do que a implantação do indicador de manutenibilidade e isso pode te ajudar.

Calcular o MTTR consiste basicamente em medir o tempo de cada atividade de manutenção corretiva e tirar a média sobre o número de falhas que ocorreu em um determinado período de tempo.

Exemplo:

Se um um equipamento parou 4 vezes para manutenção corretiva dentro de um mês, onde o tempo para reparo de cada falha foi de 2 horas, o MTTR dessa máquina será 2 horas.

Fórmula:

como medir Manutenibilidade

RAM – Reliability, Availability, and Maintainability

Confiabilidade, Disponibilidade e Manutenibilidade são os três itens que compões o tripé de uma Gestão de Manutenção eficiente.

Esses três itens  são atributos de projeto do equipamento, sistema ou componente que têm impactos significativos na sustentação ou custos totais do Ciclo de Vida (LCC) de um sistema desenvolvido. Além disso, os atributos de RAM afetam a capacidade de realizar a missão pretendida e afetam o sucesso global da missão. 

A definição padrão de Confiabilidade é a probabilidade de zero falhas ao longo de um intervalo de tempo definido (ou missão), enquanto a disponibilidade é definida como a porcentagem de tempo que um sistema é considerado pronto para usar quando encomendado. A Manutenibilidade é uma medida da facilidade e rapidez com que um sistema ou equipamento pode ser restaurado ao estado operacional após uma falha.

Um programa de otimização de ativos bem projetado e corretamente implementado pode reduzir significativamente os custos do projeto. 

A modelagem de confiabilidade, disponibilidade e manutenibilidade (RAM) avalia as capacidades de um sistema de produção, seja em operação ou ainda na fase de projeto. Os resultados de um modelo de RAM identificam possíveis causas de perdas de produção e podem examinar possíveis alternativas de sistema. O estudo RAM é, portanto, uma ferramenta para a tomada de decisões com ajuda para análise de custos versus benefícios.

A modelagem de RAM pode simular a configuração, operação, falha, reparo e manutenção de equipamentos. As entradas para uma modelagem de RAM incluirão os componentes físicos, a configuração do equipamento e a filosofia de manutenção em um sistema e as saídas podem determinar a produção média do sistema durante a vida útil ou da instalação. 

Os estudos de RAM gerarão dados suficientes necessários para tomar decisões sobre possíveis mudanças de sistemas que possam aumentar a eficiência do sistema e, portanto, aumentar os lucros do projeto.


Leia Mais:

Comentários

Comentários

jhonata

Jhonata é Engenheiro Mecânico e Engenheiro de Produção formado pelo Centro Universitário do Distrito Federal, Técnico em Eletrotécnica e Técnico em Mecânica formado pelo SENAI –Roberto Mange. Atua há 12 anos no setor de manutenção em industrias de grande porte dos seguimentos Alimentício, Higiene e Limpeza, Farmacêutico, Químico, Metalúrgico, Cimenteiro, Açúcar e Álcool, etc. É especialista em Planejamento e Controle de Manutenção, RCM - Manutenção Centrada em Confiabilidade e Lubrificação Industrial com Certificação Internacional MLT-I pelo ICML –International Council of Machinery Lubrication, Analista de Vibração Nível II pela FUPAI. Já atuou como Consultor de Lubrificação, Analista de Vibração, Supervisor de Manutenção Industrial e hoje é Diretor de Engenharia e Negócios da Engeteles e Coordenador de Manutenção em uma industria multinacional fabricante de produtos para automação residencial.