Os 8 Pilares do TPM

Conhecendo os 8 pilares do TPM

O TPM é uma metodologia de gestão de produção japonesa desenvolvida por Seiichi Nakajima, pública a primeira vez em seu livro Introdução ao TPM, em 1988. TPM é uma sigla para a expressão Total Productive Maintenance, que em tradução livre quer dizer Manutenção Produtiva Total. Por se tratar de um metodologia de gerenciamento de produção muito abrangente, usualmente ela é implantada através dos 8 pilares do TPM.

8 pilares do tpm

O maior objetivo do TPM é a redução significativa dos defeitos, falhas e desperdícios, tornando assim os equipamentos e processos produtivos mais eficientes, e garantindo o aumento da produtividade e da qualidade dos produtos. Essa melhoria é observada através da otimização do indicador central do TPM, conhecido como OEE – Overall Equipment Effectivenes. 

Como esse assunto é muito extenso, preparamos um artigo exclusivo apenas para falar sobre OEE, disponível no link abaixo:

https://engeteles.com.br/oee/

OEE – Overall Equipment Effectiveness – Porque, como e quando aplicar?

Voltando agora ao tema central desse artigo, os 8 pilares do TPM, é através deles que a Manutenção Produtiva Total é implantada em uma empresa. O TPM não pode ser confundido com uma metodologia exclusivamente de gestão do setor de manutenção, pois ele é um método de controle produtivo completo, e cada um dos 8 pilares do TPM será responsável por eliminar uma parte dos desperdício, e controlar uma etapa distinta do processo produtivo de uma indústria. Vamos a cada um deles.


O Pilar da Manutenção Autônoma - O Mais Conhecido Dentre os 8 Pilares do TPM

O pilar da manutenção autônoma sem sombra de dúvidas é o pilar mais conhecido dentre os 8 pilares do TPM. Essa informação tanto é verdadeira, que muitos profissionais inclusive confundem a manutenção autônoma com o próprio TPM em si.

A manutenção autônoma nada mais é do que a implementação de uma rotina de atividades simples de manutenção das máquinas, executada pelos próprios operadores. 

Com a implantação desse tipo de rotina, além de desocupar a mão de obra especializada dos mantenedores, ainda aumento o vinculo e cuidado que os operadores tem com as máquinas que utilizam no seu dia a dia.

O pilar da manutenção autônoma tem um processo muito linear de implantação, que vai desde uma limpeza inicial e inspeção geral do ativo, até a capacitação dos operadores e a implantação de checklists de inspeção, limpeza, lubrificação e pequenos reparos.

Dos 8 pilares do TPM, a manutenção autônoma é a que traz um resultado mais rápido e visual, pois com a implantação dessas pequenas rotinas de cuidado dos operadores, a situação do “chão de fábrica” melhora exponencialmente.

 

8 pilares do tpm

O Pilar da Manutenção Planejada e o Aumento da Confiabilidade

Manter apenas uma rotina de manutenção autônoma não é o suficiente para garantir que as máquinas sejam confiáveis e se mantenham operando, sem falhar.

Por isso, um dos 8 pilares do TPM é o pilar da manutenção planejada, que consiste na implantação de planos de manutenção, onde as melhores estratégias são empregadas para cada uma das máquinas, baseadas tanto na importância de cada um dos equipamentos para o processo produtivo, como na possibilidade de analisar as falhas e impedir que elas ocorram.

 

8 pilares do tpm

 

A manutenção planejada consiste então, basicamente na gestão das atividades de manutenção preventiva e de manutenção preditiva. Se quiser saber mais sobre esse tema, basta clicar no link abaixo e ler esse artigo que preparamos sobre o tema:

https://engeteles.com.br/entenda-de-uma-vez-por-todas-a-diferenca-entre-os-tipos-de-manutencao/

Entenda de Uma Vez Por Todas a Diferença Entre os Tipos de Manutenção


Melhorias Específicas - Otimizações Pontuais na implantação dos 8 Pilares do TPM

 

Devido à grande preocupação na eliminação de fontes de desperdício, existe um pilar específico dentre os 8 pilares do TPM focada em analisar isoladamente fontes de desperdício e eliminá-las. É o pilar das Melhorias Específicas.

Como o próprio nome já diz, nesse pilar é estabelecido um processo para identificar as principais anomalias que geram desperdício no processo produtivo, e a partir daí, promover ações que visam eliminar essas fontes. O processo consiste basicamente em:

# Identificação da fonte da perda (I) – Identificar dentro dos processos produtivos, fontes de desperdício de tempo, de material ou de insumos.

# Mensuração da Perda (M) – Com a fonte identificada, o objetivo é mensurar o que e quanto está sendo desperdiçado.

# Eliminação da Causa da Perda (E) – Processo de análise de causa de problema para tomada de ação para eliminação da fonte do desperdício.

Para viabilizar esse processo, a gestão da empresa pode utilizar uma série de ferramentas de qualidade que tornam essa tarefa possível.

 

 

8 pilares do tpm


Educação e Treinamento - Construção de um Processo de Aprendizado Organizacional

O pilar de educação e treinamento é um dos 8 pilares do TPM que funciona como apoio na implantação e gestão dos outros pilares. Seu objetivo é estabelecer um processo claro de capacitação organizacional, onde os colaboradores possam adquirir e fazer a manutenção de conhecimentos técnicos e gerenciais a cerca da metodologia TPM.

A entrega mais importante realizada nesse pilar é o plano de capacitação anual, demonstrando quais os cursos que cada tipo de função da empresa precisa receber, e em que momento do ano esse curso será realizado.

Preparamos um vídeo completo falando sobre a implantação do pilar educação e treinamento. Basta clicar no link abaixo para assistir:

https://www.youtube.com/watch?v=xHPK8u4UzgA


Pilar de Segurança e Meio Ambiente - A importância da segurança nos 8 pilares do TPM

Saúde e segurança é uma diretriz extremamente importante em qualquer tipo de organização, e dentro dos 8 pilares do TPM isso não é diferente.

Na implantação desse pilar, o objetivo é a difundir um sistema de gestão da segurança, que visa estabelecer melhorias comportamentais, melhorias em equipamentos e melhorias ergonômicas.

8 pilares do tpm


Pilar Manutenção da Qualidade - Estabelecimento de Controles para Produtos

O termo qualidade, segundo a norma ISO 9000, é o “grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos”. Para entender um pouco melhor, basta entender que um produto tem uma série de requisitos a serem atendidos para que ele tenha qualidade (cor, peso, medidas, composição, etc…) e o grau o qual esse conjunto de requisitos é atendido é o que chamamos de grau de qualidade. Logo um produto que está 100% adequado a todos os requisitos técnicos estabelecidos, está no mais alto grau de qualidade possível.

Dentro dos 8 pilares do TPM, a qualidade precisa ser tratada como processo bem definido para analisar e eliminar as causas relacionadas aos equipamentos e aos processos que comprometem o atendimento de especificações dos produtos.

Para isso, a gestão dispõe de uma série de ferramentas para análise e resolução de problema como diagrama de Ishikawa, 5w, análise P-M, dentre outras.


Controle Inicial - Implantação do TPM desde o projeto de um novo processo.

O controle inicial é o pilar que visa estabelecer parâmetros para controle de um novo processo desde antes da aquisição das máquinas que serão empregadas.

Por isso, esse pilar se ampara basicamente em três premissas distintas. São essas:

# Controle da Qualidade- Capacidade da máquina de atender aos requisitos de qualidade que são esperados para o produto que será processado.

# Manutenabilidade – Capacidade da máquina ser reparada em um determinado período caso venha a apresentar uma falha.

# LCC – O Life Cycle Cost, que em tradução livre é o Custo do Ciclo de Vida, é a estimativa do somatório de todos os custos que uma nova máquina terá durante toda a sua vida, desde sua aquisição até o seu descarte.

Controlando esses três aspectos distintos, é possível entender se a máquina atenderá as expectativas da organização durante toda a sua vida útil.


Pilar da Gestão Administrativa - Controle de processos administrativos nos 8 pilares do TPM

Dentre os 8 pilares do TPM, o de gestão administrativa visa otimização para além da produção. Enquanto os outros pilares tiveram grande foco em otimizar e reduzir desperdícios de todos os processos relacionados a manufatura dos produtos, nesse pilar o TPM amplia suas fronteiras para os processos de apoio e processos administrativos.

Os processos administrativos são todos aqueles que não tem papel direta com a atividade fim da empresa, contudo, são importantes para o desenvolvimento do negócio, como contabilidade, financeiro e RH por exemplo.

A otimização desses processos reside basicamente no mapeamento dos processos, para que seja possível estreitar as entradas necessárias para a sua execução (tornando assim os processos menos burocráticos) e alargando as saídas do processo (tornando eles assim mais produtivos).

Gostou desse conteúdo? Compartilhe!
Imagem padrão

Danilo Romão

Artigos: 10