fevereiro 23 2018 0Comment
o que é confiabilidade

Confiabilidade: O que é e Como medir?

“O que é Confiabilidade? Como Medir Confiabilidade? Quais são os índices de confiabilidade dos equipamentos do meu processo de produção?”

A resposta para essas três perguntas irão definir se a sua gestão da manutenção terá sucesso ou não.

Quando iniciamos nossa carreira na área da manutenção, surgem diversos termos que apesar de importantes, provocam algumas confusões quanto aos seus significados, objetivos e peso dentro da gestão da manutenção.

Essa confusão é perigosa e ameaça fortemente os resultados de uma boa gestão da manutenção.

Um dos termos mais confundidos e mais importantes dentro da gestão da manutenção é a Confiabilidade. Confunde-se muito os significados dos termos que cercam a confiabilidade de equipamentos industriais e esse, é um assunto que deve ser bem esclarecido e esse é o objetivo com esse artigo.

Assista ao vídeo abaixo e acompanhe uma aula que mostra o que é confiabilidade, como medir a confiabilidade e quais pontos você deve se preocupar em relação ao tema. 

 

O que é Confiabilidade?

De acordo com a NBR-5462, confiabilidade é a capacidade de um item desempenhar uma função requerida sob condições especificadas, durante um dado intervalo de tempo.

Nota: O termo “confiabilidade” é usado como uma medida de desempenho de confiabilidade.

Confiabilidade é a probabilidade de um determinado item, componente, equipamento, máquina ou sistema desempenhar a sua função especificada no projeto, de acordo com as condições de operação especificadas, em um intervalo específico de tempo.

o que e confiabilidade

Ou seja, quando falamos de confiabilidade sempre devemos atrelar a um período de tempo. Por exemplo, se queremos falar da confiabilidade de uma bomba centrífuga, devemos faze-lo da seguinte forma.

Certo: A probabilidade dessa bomba operar, de acordo com a suas especificações de projeto, é de 99,8% nas próximas 5000 horas.

Errado: A confiabilidade dessa bomba é de 99,8%.

Confunde-se muito o significado dos termos confiabilidade, disponibilidade e mantenabilidade (ou manutenabilidade). Para que você também não se confunda, basta recorrer a Norma NBR-5462. 

A NBR-5462 define todas as terminologias referentes as conceitos de Confiabilidade e Mantenabilidade, além de diversos outros conceitos que são cruciais para uma boa gestão da manutenção.

o que é confiabilidade

A NBR-5462 diz que:

Disponibilidade é a capacidade de um item estar em condições de executar uma certa função em um dado instante ou durante um intervalo de tempo determinado, levando-se em conta os aspectos combinados de sua confiabilidade, mantenabilidade e suporte de manutenção, supondo que os recursos externos requeridos estejam assegurados.

Mantenabilidade é a capacidade de um item ser mantido ou recolocado em condições de executar suas funções requeridas, sob condições de uso especificadas, quando a manutenção é executada sob condições determinadas e mediante procedimentos e meios prescritos.

Confiabilidade é a capacidade de um item desempenhar uma função requerida sob condições especificadas, durante um dado intervalo de tempo.

Ou seja, disponibilidade é um indicador reativo, retrata o que aconteceu no  passado. Mantenabilidade é a “facilidade” que uma equipe encontra para executar a manutenção de um determinado equipamento. E Confiabilidade está ligado ao futuro, é uma projeção probabilística que aponta as chances do equipamento funcionar perfeitamente em um determinado espaço de tempo.

Recomendo que você leia os dois artigos abaixo, eles explicam com mais profundidade os conceitos de disponibilidade e mantenabilidade:

Como calcular disponibilidade de equipamentos industriais?

Manutenibilidade: O que é e como ela pode te ajudar.

O que é Confiabilidade

PCM PLANEJAMENTO E CONTROLE Da MANUTENÇÃO

O que é confiabilidade

Como medir e calcular a Confiabilidade?

Como dito, a confiabilidade é um calculo probabilístico. Com base no histórico de falhas de um determinado equipamento, iremos projetar um cenário futuro.

Para medir a confiabilidade, precisaremos levantar as seguintes informações:

MTBF – Tempo Médio Entre Falhas:

MTBF é a sigla de Mean Time Between Failues, que em tradução livre é Tempo Médio entre falhas. Ou seja, MTBF é a média aritmética dos tempos decorridos entre as falhas de um determinado equipamento durante a operação. 

o que e mtbf

Taxa de Falhas:

Se chamarmos a taxa de falhas de lambda, podemos ver que a taxa de falhas é o inverso do MTBF.

Fórmula para Cálculo da Confiabilidade

A confiabilidade é uma Função do Tempo, não é um número definido. Onde a “fórmula” para calculo é:

como calcular confiabilidade

Exemplo do Cálculo da Confiabilidade:

Imagine a seguinte situação:

Você trabalhar como Planejador de Manutenção Industrial e o Diretor da fábrica chega em você e faz a seguinte pergunta: “Qual a probabilidade do motor elétrico do compressor de ar principal da fábrica não quebrar nos próximos 100 dias?”

Ele quer saber a confiabilidade operacional daquele determinado motor. Para respondê-lo de forma exata, você levantará as seguintes informações para proceder com o cálculo:

  • Número de Falhas do Motor Elétrico no último ano (quanto maior o período apurado mais realista será o cálculo probabilístico);
  • Calcule o MTBF do Motor Elétrico no último ano;
  • Calcule a Taxa de Falhas no último ano;

Com esse três dados em mãos você poderá calcular a confiabilidade do motor elétrico para os próximos 100 dias. Veja abaixo:

Observações Importantes:

  • O cálculo apresentado acima serve apenas para calcular a confiabilidade de itens reparáveis. Para calcular a confiabilidade de itens irreparáveis (como lâmpadas, capacitores, componentes eletrônicos, etc.) deve-se calcular através da Análise Weibull
  • A confiabilidade é medida em função do tempo. Logo, todas as entradas de tempo devem usar a mesma unidade de medida (horas, dias, meses, anos, etc.).
  • Para se calcular a confiabilidade de um item é necessário que se tenha o histórico de falhas daquele item. 

Calculando a Confiabilidade de Sistemas em Série e em Paralelo

No tópico anterior usamos o exemplo do cálculo da confiabilidade de um único equipamento (motor elétrico do compressor). E se o Diretor quisesse saber a probabilidade de todo o sistema de ar comprimido da fábrica não falhar? 

Para responde-lo, você teria que analisar o sistema e descobrir se ele é um sistema em série ou paralelo.

Veja como calcular a confiabilidade de um processo industrial através do vídeo abaixo:

No caso de Sistemas em Paralelo a confiabilidade aumenta. Pelo fato de que existem outros componentes que servirão de back-up em caso de uma falha. Ou seja, o processo de produção não iria parar.

como calcular confiabilidade

No caso dos Sistemas em Série, a confiabilidade diminui. Pois se qualquer um dos componentes do sistema vier a falhar, todo o processo de produção irá parar.

Conclusão

De tudo o que foi apontado nesse artigo, o mais importante é o histórico de falhas. De nada adianta sabermos os meios de calcular a MTBF, Disponibilidade Física, Taxa de Falhas, Confiabilidade, etc. Se não tivermos meios confiáveis de apurar informações do passado para projetarmos um cenário futuro. 

Boa parte do sucesso da Gestão na Manutenção se dá pelo bom tratamento das informações. Toda e qualquer informação deve ser tratada como uma pedra preciosa. Algumas chegam ao departamento ainda em estado bruto e precisam ser lapidadas e assim como uma joia, devem ser bem tratadas e mantidas em local seguro.

Uma vez que se peca na coleta, no armazenamento e na tratativa das informações, se peca com a Gestão da Manutenção de toda uma empresa.

Confiabilidade

Confiabilidade


Leia Também:

  • manutenção centrada em confiabilidade
    Introdução à Manutenção Centrada em Confiabilidade: O que você precisa saber sobre RCM!
  • 10 Grandes Desperdícios na Manutenção
  • análise de falhas
    4 Ferramentas para Análise de Falhas
  • engenharia de manutenção
    Engenharia de Manutenção: Foco em Confiabilidade, Disponibilidade e Mantenabilidade

Comentários

Comentários

jhonata

Jhonata é Engenheiro Mecânico e Engenheiro de Produção formado pelo Centro Universitário do Distrito Federal, Técnico em Eletrotécnica e Técnico em Mecânica formado pelo SENAI –Roberto Mange. Atua há 12 anos no setor de manutenção em industrias de grande porte dos seguimentos Alimentício, Higiene e Limpeza, Farmacêutico, Químico, Metalúrgico, Cimenteiro, Açúcar e Álcool, etc. É especialista em Planejamento e Controle de Manutenção, RCM - Manutenção Centrada em Confiabilidade e Lubrificação Industrial com Certificação Internacional MLT-I pelo ICML –International Council of Machinery Lubrication, Analista de Vibração Nível II pela FUPAI. Já atuou como Consultor de Lubrificação, Analista de Vibração, Supervisor de Manutenção Industrial e hoje é Diretor de Engenharia e Negócios da Engeteles e Coordenador de Manutenção em uma industria multinacional fabricante de produtos para automação residencial.